Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.

Portugueses apostam milhares de milhões na Santa Casa

Portugueses apostam milhares de milhões na Santa Casa

Vendas dos jogos sociais chegaram aos 2755 milhões em 2016, mais 24% face a 2015.

Na base deste crescimento está a raspadinha e o mais recente jogo de apostas desportivas, o Placard.

por Academia   |   comentários 0

O relatório, apresentado esta quinta feira pelo Departamento de Jogos da Santa Casa, aponta para um acréscimo de 534,9 milhões de euros em 2016 – o que resulta num total de 2.755,2 milhões de euros gastos nas raspadinhas e no Placard, mais 24% face a 2015.

Na conferência de imprensa de apresentação dos resultados do departamento de jogos e das contas da SCML, Pedro Santana Lopes revela ainda que 97% do total de receitas (2.690,6 milhões de euros) foram devolvidos à sociedade, através do pagamento de prémios de jogo (1.668,0 milhões de euros), imposto de selo para o estado, resultados distribuídos pelos beneficiários, promoção do desporto, patrocínios e investimento na promoção da legalidade e do jogo responsável.

Só a raspadinha, considerado o jogo preferido dos portugueses, valeu 1359 milhões de euros, equivalente a 49% do total das receitas conseguidas no ano anterior. Em segundo plano aparece o Placard que, Santana Lopes admite ser um novo jogo que dá impulso às receitas. Para além disso, o provedor da Santa Casa revelou que o jogo das apostas desportivas terá novos desportos para apostar

Só a raspadinha, considerado o jogo preferido dos portugueses, valeu 1359 milhões de euros, equivalente a 49% do total das receitas conseguidas no ano anterior.

No entanto, todos os outros jogos da SCML registaram uma variação negativa no volume de vendas no ano de 2016. Euromilhões, Totobola, Totoloto, Milhão e Joker representam agora apenas pouco mais de 34% do total das receitas.

Apesar da sustentabilidade financeira da Santa Casa estar garantida, o provedor assegurou que a Santa Casa “não repousa sobre a solidez das contas” e vai continuar a diversificar as suas fontes de receita, nomeadamente na introdução às apostas online e no desenvolvimento das apostas hípicas, previstas para o primeiro semestre de 2018. Santana Lopes ainda fez questão de frisar que os valores obtidos permitiram reforçar as políticas de apoio na área da saúde, ação social, investigação, cultura, património, entre outras. 

,

Partilhar "Portugueses apostam milhares de milhões na Santa Casa" via: